O que é e como funciona os arquivos BCF?

Nos últimos artigos temos abordado o BIM como uma ferramenta de fomento às Smart Cities, pois otimiza os processos de projeto e construção, que em contrapartida gera economia de recursos.

Dentro deste conceito vimos que há um padrão de troca de dados, gerido pela buildingSMART: o IFC

Porém mesmo a interoperabilidade em si não garante que colisões entre elementos de diversas disciplinas que atuam sobre um edifício ocorram, e para otimizar a comunicação destas incompatibilidades, entra em cena os arquivos BCF.

As etapas de projeto são dinâmicas e relacionam diversos profissionais que atuam nas denominadas “disciplinas” da indústria da construção civil. Esta dinâmica de trabalho chamamos de workflow, ou mesmo fluxo de informação.

Sabemos que com o BIM o volume de informações aumentou de uma maneira exponencial, e fazer a gestão deste fluxo passou a ser uma tarefa tão árdua quanto era desenhar um projeto em 2D antigamente.

Algumas Ferramentas auxiliam nesta gestão, é um destes instrumentos é o arquivo BCF.

O que é o arquivo BCF?

O Arquivo BCF (BIM Colaboration Format) surgiu com a intenção de troca de informações e comentários, independente de ferramentas e softwares utilizados, com objetivo de dar agilidade á comunicação entre os envolvidos no projeto.

Ele segue como estrutura o padrão XML, que armazena as informações de maneira hierárquica em nós, contendo comentários, imagens e demais informações que anulam a necessidade de encaminhar todo o modelo BIM durante a fase de comunicação/compatibilização.

Assim o BCF permite ao gestor anexar pontos de vista por meio de imagens; indicar colisões ou incompatibilidade entre elementos construtivos; Indicar profissionais responsáveis pelas disciplinas envolvidas; sinalizar o estado de pendências; e outras funções inerentes à atividade de gestão de projeto.

Como tudo isso acontece?

Há basicamente duas maneiras de gerir um ambiente de projeto AEC utilizando os arquivos BCF. Vamos a elas:

  1. Utilizando arquivos BCF nativos, que precisam de trocas sucessivas de arquivos e exigem do gestor um cuidado redobrado com organização e controle de versões dos arquivos.
  2. Utilizar uma plataforma colaborativa na nuvem, que integre o BCF automaticamente, como o BimCollab,

No vídeo abaixo, a building SMART nos explica o funcionamento do BDF de uma forma muito didática:

Literatura Recomendada 

Veja o artigo da buildingSMART aqui.

O que vem a seguir?

Vamos continuar explorando o universo de ambientes colaborativos em projetos para a indústria AEC, e veremos como funciona a plataforma BIM Collab.

Até lá;

Everton Teles
Arquiteto e Urbanista, reconhece a cidade como a maior invenção humana, e, para melhorar a qualidade de vida nos centros urbanos, acredita que a tecnologia pode trazer a sustentabilidade tão buscada.