Entendendo um Arquivo .ifc

No artigo anterior vimos o que é o OpenBIM e os esforços da buildingSMART para manter a estandardização do formato.

Agora vamos entender na prática o que é e como está estruturado um arquivo “.ifc”.

Fonte: buildingSMART

Como vimos um arquivo .ifc é um padrão de trocas de informações aberto, esta característica resulta em um arquivo que organiza os dados de uma maneira estruturada e legível a sistemas informacionais por meio de um algoritmo divulgado e documentado.

Podemos abrir um arquivo IFC em um editor de textos simples, como o bloco de notas, o gedit ou o Notepad ++, como na imagem a seguir:

A estrutura do arquivo

Como dito, para que estas informações façam sentido, é necessário que conheçamos sua estrutura sistêmica.

Como podemos ver, nota-se que ao abrirmos um arquivo .ifc, toda sua estrutura é escrita linha a linha, uma característica similar ao formato de troca de dados STEP-File, onde as informações são descritas seguindo a tipologia de uma instância por linha, facilitando sua leitura e interpretação.

Na primeira linha sempre haverá a seguinte inscrição: “ISO-10303-21” (sem as aspas). Isso dá referência da norma ISO-10303 ao software interpretador, que estabelece toda a padronização dos procedimentos, linguagem, interpretação e trocas de dados. E na última linha do arquivo vemos o encerramento deste bloco principal através da inscrição: “END-ISO-10303-21”, 

Dentro deste bloco principal temos duas seções, a saber: HEADER e DATA. Vejamos agora o que contém o bloco Header:

“HEADER” : Esta Seção possui uma estrutura fixa, que carrega informações sobre o arquivo. Fazem parte obrigatoriamente desta seção os seguintes grupos:

  • FILE_DESCRIPTION = Grupo de Atributos que define a visualização base e o nível de implementação, especificando a codificação que o arquivo está conformado.
  • FILE_NAME = Grupo de atributos que carrega o nome do arquivo IFC; a data de criação (descrita no formato internacional, conforme ISO 8601); o nome do autor e a organização a que pertence; o software onde o IFC foi gerado bem como dados de autorização (nome e endereço da pessoa que autorizou o arquivo).
  • FILE_SCHEMA = Especifica um esquema EXPRESS (falaremos dele futuramente), que nada mais é do que um padrão de organização dos dados em um arquivo de modo a torná-lo legível por um sistema informacional.

Além destes três atributos obrigatórios, podem aparecer estes outros grupos:

  • FILE_POPULATION =  Este atributo valida uma população, ou seja, um conjunto de dados ( ou instância de entidades) de acordo com o esquema EXPRESS definido no FILE_SCHEMA.
  • SECTION_LANGUAGE = Aqui é definida a linguagem que o esquema interpretará para campos de texto (strings), esta informação deve aparecer no atributo default_language e obedecer a ISO 639.
  • SECTION_CONTEXT = Guarda informações sobre oa contextos das instâncias dentro do esquema;

Literatura Recomendada:

Este artigo e o próximo são frutos do conhecimento adquirido por meio da documentação do biildingSMART, disponível neste link, e também da dissertação de mestrado de: PINHO, Sérgio M. F.; com o título de “O MODELO IFC COMO AGENTE DE INTEROPERABILIDADE Aplicação ao domínio das estruturas”, do programa de mestrado da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, disponível aqui.

O que vem por aí?

O próximo artigo abordará o grupo DATA do arquivo IFC, que é onde as informações do projeto estão armazenadas.

Até lá 😉

Everton Teles
Arquiteto e Urbanista, reconhece a cidade como a maior invenção humana, e, para melhorar a qualidade de vida nos centros urbanos, acredita que a tecnologia pode trazer a sustentabilidade tão buscada.